+
Ohtake Cultural

Ohtake Cultural

são paulo
brazil

obra
1ª Etapa: 1998-2001
Torre Pedroso de Moraes
Instituto Tomie Ohtake (fase 1)

2ª Etapa: 2000-2004
Torre Faria Lima
Instituto Tomie Ohtake (fase 2)

projeto 1995

área do terreno
7.653 m2

área do construção
torre faria lima, 201  15.810 m2
torre Pedroso de Moraes, 201  5.450 m2

teatro
3.920 m2

centro de reuniões
3.240 m2

instituto tomie ohtake
4.400 m2

Duas questões urbanísticas foram estudadas na definição do projeto arquitetônico.

A primeira é a localização. Está situado entre as avenidas Faria Lima e Pedroso de Moraes, importante eixo na cidade de São Paulo. Trata-se de um lugar muito interessante: um nó de confluência de três áreas: o bem postado Alto de Pinheiros, a instigante Vila Madalena e o bairro de Pinheiros, hoje desagregado. O projeto abre uma contemporaneidade para o bairro de Pinheiros. Temos a convicção de que essa arquitetura é importante para a renovação do entorno enquanto referência do contemporâneo.

A segunda questão é a existência simultânea de funções diferenciadas, integrando negócios e cultura em um mesmo conjunto: dois Edifícios de Escritórios de alto padrão, um Centro de Reuniões, um Teatro e o Instituto Cultural Tomie Ohtake. Cada unidade com entrada independente e todos interligados por um grande hall de 1000 metros quadrados, com cobertura de vidro laminado, que permite luz natural. Nesse hall estão espaços de exposições de artes, restaurante, livraria, loja de design, café.

Esse complexo é integrado por cinco construções:

Torre Pedroso de Moraes 1201: Edifício de escritórios com 6 andares, em forma de trapézio invertido.

Torre Faria Lima 201: Edifício de escritórios com 22 andares e heliponto na cobertura, com laje de 620 m2.

Teatro: Teatro com capacidade para 750 espectadores.
Espaço Múltiplo, com palco e platéia flexíveis, próprio para a realização de projetos especiais, experimentais e contemporâneos.

Centro de Reuniões: Auditório, salas de reuniões e espaços para eventos.

Instituto Cultural: Área expositiva de 1800 m2, dotada de recursos técnicos e apta a todas as formas de expressão artística. São 9 espaços para exposições, restaurante, loja, livraria. O grande hall une todos esses espaços.

créditos

arquitetura
concepção RUY OHTAKE
coordenação RUBENS SCUOPPO
gerentes CARLOS ROBERTO DE AZEVEDO, FÉLIX ARAÚJO, ANTÔNIO SÉRGIO BERGAMIN
detalhamento EMÍLIA UTAJA, ISABEL ARAÚJO, JAYME LAGO MESTIERI, NANCY MARQUES, ROGÉRIO GAVA DE OLIVEIRA
estrutura ESCRITÓRIO TÊCNICO JÚLIO KASSOY E MÁRIO FRANCO (CONCRETO); KURKDJAN DRUCHTENGARTEN ENG. ASSOCIADOS (METÁLICA)
fundação PORTELLA ALARCON ENGENHEIROS ASSOCIADOS
ar condicionado e instalações MHA
luminotécnica MINGRONE ILUMINAÇÃO
acústica ACÚSTICA E SÔNICA
consultorias PEDRO PEDERNEIRAS (PALCO), EMÍLIO KALIL (TEATRO) E AGNALDO FARIAS (SALA DE EXPOSIÇÃO)
áudio e vídeo MARCELO DANTAS
paisagismo OLAIR DE CAMILO
consultoria de vidro AVEC VERRE DESIGN
gerenciamento SERPLAN

construção MÉTODO ENGENHARIA

proprietário ACHÉ LABORATÓRIOS FARMACÊUTICOS S.A.

Principais Fornecedores
ALGRAD (esquadrias);
ANSON (fundações);
ENGEMIX (concreto);
GEOFIX (sondagens);
GERDAU (aço);
ITU (mármores e granitos);
MILLS (andaimes);
PORTOBELLO (cerâmica);
SANTA MARINA (vidros);
SVH (estruturas);
TEMON (montagens)

Premiações PRÊMIO BIENAL DE ARQUITETURA DE BUENOS AIRES, 2002